Pesquisa de preços em supermercados do bairro José Walter.

   Qualidade e preço andam juntos? Compare para economizar.

   Quem nunca, pelo menos uma vez na vida, chegou com uma lista de produtos em um supermercado para fazer uma pesquisa de preços? Se você não é adepto a essa prática, por achar que a diferença é sempre irrisória, fique esperto!

   Supermercados são parada obrigatória para quase todos os mortais desse planeta chamado terra. Mas em virtude do ritmo acelerado em que vivemos, quase sempre a tendência é procurar uma opção perto de casa ou do trabalho por questões de comodidade. Há quem prefira se deslocar um pouco mais para encontrar preço, variedade e qualidade, mas a mídia e a internet já comprovaram que esses atributos nem sempre andam juntos.

    Partindo desse princípio e trazendo a questão para mais perto da nossa realidade, o site josewalter.com resolveu inovar, fazendo uma pesquisa, não em grandes supermercados, mas aqui mesmo no nosso bairro, comparando os preços de gêneros alimentícios comumente encontrados em nossa mesa.

    Visitamos 4 grandes supermercados e fizemos a comparação de preços dos mesmos itens utilizados pelo DIEESE para a Pesquisa da Cesta Básica Nacional. A “cesta básica” na verdade, é um conceito abstrato, pois foi pensada para verificar se o poder de compra do salário mínimo consegue suprir as necessidades alimentares básicas de uma pessoa durante um mês. Por isso os itens que vocês encontrarão aqui são bastante resumidos.

Super do Povo, 1ª etapa
Super do Povo, 1ª etapa
Panorama, 3º etapa
Panorama, 3º etapa
Medeiros, 1ª etapa
Medeiros, 1ª etapa
Cometa, Av. N
Cometa, Av. N

    É importante lembrar que em um mercado onde há concorrência entre os fornecedores de um bem ou serviço, os preços praticados tendem a se manter nos menores níveis possíveis e as empresas por sua vez, precisarão buscar constantemente formas de se tornarem mais eficientes para atrair ou manter a clientela, a fim de aumentarem seus lucros. À medida em que tais ganhos de eficiência são conquistados e difundidos entre os fornecedores, ocorre uma readequação dos preços que beneficia o consumidor. Assim, o princípio da livre concorrência garante, de um lado, os menores preços para os consumidores e, de outro, o estímulo à criatividade e inovação das empresas.

    Além de tudo isso, é preciso estar atento as mudanças do mercado para mitigar o impacto que vai ocorrer no seu bolso no final do mês. Cabe também ao consumidor, ser inteligente e evitar aborrecimentos ou prejuízos a saúde atentando para as seguintes dicas:

1. Aprenda a driblar os reflexos de uma safra ruim, optando por frutas e verduras da estação que geralmente estarão mais baratas.

2. Grandes redes de supermercados apostam nos famosos dias “D”, então, planeje-se na medida do possível e aproveite para comprar gêneros alimentícios quando estiverem em promoção.

3. Desconfie de preços muito baixos, eles podem estar relacionados a data de validade do produto.

4. Os produtos mais baratos geralmente ficam nas prateleiras mais baixas ou de difícil alcance. Essa é uma estratégia por vezes utilizada pelos profissionais de marketing para evidenciar determinado produto que dará mais lucro ao estabelecimento.

5. Saia da zona de conforto e pesquise antes de comprar. Dessa forma estaremos estimulando o mercado a se adequar cada vez mais ao principio da livre concorrência e quem vai ganhar é o consumidor.

6. Seja consciente e compre apenas o suficiente para evitar sobras e desperdício. Lembre- se que mais de 800 milhões de pessoas ainda passam fome em todo o mundo, enquanto cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos é desperdiçada todos os anos.

Jucelino Alencar

Graduado em Processos Gerenciais, estudante do curso de Mídias Digitais na Universidade Federal do Ceará - UFC e Pós-Graduação em Coaching na Universidade de Fortaleza - Unifor.

Deixe uma resposta